segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Sobre razão e coração

Meu coração é bom e manso. Mas acima dele tenho uma cabeça que me diz como agir, que prevalece muitas vezes. Ouço sempre ela dizer para não sentir, para ser de ferro. Minhas emoções se confundem e a razão racionaliza tudo. Tenho medo de ficar amarga com o passar do tempo, dura comigo e com as pessoas... Amargurada com esse mundo que só me desilude e que não me satisfaz. Tenho medo que a minha cabeça me faça esquecer que tenho um coração!
       
{Tanmi}

7 comentários:

Janete Andrade disse...

esse medo me persegue constantemente... tenho medo de ter (des)aprendido a amar, tenho medo de ter esquecido essa ilusão quando conhecemos uma pessoa, às vezes que sou apenas cérebro e não mais cérebro e coração. :\

:*

Patricia disse...

As vezes eu queriia conseguir que minha cabeça me fizesse esquecer que tenho um coração, talvez ia doer menos.

Lindo seu espaço.
=)

Jaqueline Monteiro disse...

exatamente! não sei pra qual dar ouvidos, o medo predomina e com isso, estou sempre sendo mais cérebro do que coração, mesmo ele gritando, pedindo por 'socorro' .


;~


:*

Camila :) disse...

Tenho medo que a minha cabeça me faça esquecer que tenho um coração

tbm tehu medo disso
estranhuu neh
adoreei o texto,

bejoo

Victor Manfredine disse...

faça isso:
escute o que o
coração tem a dizer.
depois ensine a cabeça
que sem coração o corpo
não funciona.
pelo menos não na teoria.. =]

Cadinho RoCo disse...

Tenha medo não. O que a cabeça diz o coração sente e por aí você perceberá existência de uma certa sintonia comandada exatamente pelo seu sentir que [é aquele vindo da alma. Compliquei mais?
Cadinho RoCo

Daniela Filipini disse...

Lindo seu post.
Eu deveria ouvir mais a voz da cabeça do que do coração. Mas isso não faz a minha cara.
(: